Não tem nada mais mutável que a MATERNIDADE, sério. São muitos os altos e baixos. Como você pode crescer e aprender?



Dá para viver apenas sendo mãe?  A minha resposta é: não dá para ser só mãe.
Antes de tudo você é MULHER e isso te completa de todas as formas, mulheres são capazes de tudo e mais um pouco, principalmente quando envolve o lado maternal. 
Postei uma foto no instagram com o meu filho no canguru enquanto eu estava fotografando e tive alguns comentários positivos e outros com um toque de reprovação por estar trabalhando com o meu neném tão pequeno. Preciso pagar boletos, galera, essa foi minha resposta. O engraçado é que quando saio sem o meu filho, os questionamentos são outros: Com quem ele ficou? Nossa, você é corajosa. Difícil ser mulher/mãe. Eu levo o meu filho para vários lugares, isso me mostra como eu sou capaz de fazer várias coisas e principalmente me ensina. Afinal, sou mãe há dois anos, tenho tanta coisa ainda para aprender. Eu sou capaz e você é capaz. Mas ainda tem mulheres que usam a maternidade como desculpa pelas suas faltas de realizações.  
Quando eu engravidei estava no meio da faculdade, faltavam três semestres para acabar e isso era o meu foco naquele momento, demorou tanto e foi tão difícil todo o período na universidade que a única coisa que eu sabia fazer era chorar. Como eu iria dá continuidade na minha vida acadêmica? Como eu ia me formar? Muitos questionamentos, dúvidas e vontades começaram a surgir, tinha vontade de desistir, mas não podia, tinha dúvida se conseguiria e o medo sempre estava ali presente. O medo de não dá conta, de não saber como os meus colegas encarariam uma aluna de publicidade grávida, enfim, medo de tudo.
Mas eu nunca fui de desistir e como uma boa filha única que sou, sempre estive muito sozinha e fiz as coisas sozinhas, estar sozinha nunca foi algo ruim. Escutei muitas opiniões sobre estar grávida e continuar com as minhas atividades, meninas que estavam passando pelo mesmo que eu ou tinham passado, contavam as suas experiências e que preferiam deixar tudo de lado, ou levaram a opinião de terceiros em conta, enfim, conclui que cada um tem a sua experiência e o que eu queria passar para aquele neném crescendo na minha barriga era simples: a mãe dele termina o que começa. E dessa vez, eu terminaria a faculdade grávida. Bom, terminei a faculdade ele já tinha nascido e ter ele na minha formatura foi algo que nunca pensei que aconteceria, mas não seria tão especial como foi com ele ali na plateia me olhando. Essa foi uma das pequenas coisas que conquistei e venho conquistando desde que descobri a gravidez. Não sou tola em achar que tudo é fácil, realmente, não foi. Na verdade, não é, a maternidade é uma construção diária, um aprendizado diário e um amor que só cresce. E é lógico que cada uma de nós tem uma realidade diferente, uma bagagem diferente, tudo diferente, contudo, vejo muitas meninas que falam que pararam de estudar porque estavam grávidas ou param de trabalhar e se arrependeram, ficaram presas a uma situação que poderia ser diferente.
Atualmente as mulheres têm tido essa dupla jornada ou até tripla, ser mãe, estudante e trabalhar fora. A maternidade não pode ser encarada como o fim da vida social e corporativa da mulher, antigamente era muito comum isso acontecer, eu sou um exemplo disso, minha mãe abandonou carreira para se dedicar a mim. Não reclamo, ela não reclama, mas quando ela decidiu voltar ao mercado foi bem mais difícil.  Mas hoje em dia cada vez mais mães trabalham fora e por mais que a carreira e a maternidade sempre estejam em briga, a mulher consegue. A rede de apoio tem que existir para que essa mãe não se sinta sozinha ou menos mãe porque não passa o dia todo ao lado da criança. Conciliar carreira e maternidade requer certos esforços, por exemplo, horários rígidos para entrar e sair do trabalho, pois se adequam à rotina dos filhos.
Estacionar na vida não é uma opção. Em minha pequena experiência maternal, eu criei uma força de vontade para fazer e ver as coisas, ser mãe me deu um foco.  Eu encaro da seguinte forma:  se veio ao mundo um ser que precisa de mim para tudo na vida é porque eu sou capaz disso e muito mais. A minha dica para tentar levar a vida de trabalho e maternidade mais leve é a seguinte:  não se deixe levar pelas coisas negativas que acontecem ou pelas opiniões que nem sempre irão te ajudar.  
Seja você. 
Não estou dizendo que é fácil, não é mesmo. Horas sem dormir, esquecer de tomar banho, chegar cansada e ainda ter que brincar com o neném, amamentar e muitas outras coisas, mas se Deus (caso você acredite nele) te fez mulher é porque você é capaz de muitas coisas. 
Não desista dos seus sonhos, molde eles para que o seu filho participe. 

Seja mulher, seja mãe.