A dica de leitura está cheia de DIVAS. Teté Ribeiro traz histórias reais e fascinantes com um toque especial e uma leitura gostosa. 
Comprei o livro por achar a capa chamativa e linda, depois que dei uma lida na sinopse tinha que levar para casa. 


Sinopse: Que mulher nunca sonhou em ser diva? Há 10 anos, a Princesa Diana morria em um acidente de carro em Paris fugindo de fotógrafos, loucos por uma imagem nova e sensacionalista. 
Na intimidade, Diana sofreu de um mal com que muitas mulheres se identificam: Pouco amor. Baixa autoestima. Problemas com sua imagem,
Como ela, outras mulheres famosas, lindas, ricas e conhecidas também tiveram decepções gigantescas na vida amorosa. Quase tão grandes quantos o fascínio que elas mesmas provocam.
Na época de Jackie O., Tina Turner, Marilyn Monroe, Sylvia Plath, Maria Callas e Ingrid Bergman, a vida das celebridades não era tão dissecada e catalogada como foi a de Diana e como são as de hoje. Divas Abandonadas conta a história dessas sete mulheres, que viveram vidas públicas e dores privadas.

Gente, viram como essa sinopse é encantadora, assim como todas as histórias. Não conhecia algumas histórias, mas cada história me chamou atenção de alguma forma linda e cruel. 
Vou tentar não falar demais e acabar entregando a beleza desse livro, vou dividir por divas assim como é no livro.

Lady Di: 



Nunca fui de acompanhar a Família Real, mas depois de ler sobre a Lady Di, encarei a família com outros olhos. Diana sofreu muito no casamento e na convivência com a família, a impressão que tive foi de uma vida vazia, que melhorou com a chegada dos filhos e as ações que ela promovia. Já que não conseguia ter o amor do seu marido, ela focava em ajudar o próximo.

"A sensação que tinha sido descoberta como a pessoa especial que nem ela mesma sabia que era."

Jackie O.


Foi a primeira dama dos EUA casada com JFK, seu casamento acabou no banco de trás de um Lincoln em 1963. As infidelidades do marido causava muita dor em Jackie, acabou por ter crises de depressão e ficar isolada. Sempre foi insegura em relação a aparência e começou a se preocupar demais com isso e assim acabou se tornando um ícone de moda daquela época. 
Jackie depois da morte do marido se tornou uma pessoa totalmente diferente do que era, todo sofrimento que passou fez com que ela se tornasse uma uma mulher extremamente fria. 

Maria Callas 

Não conhecia muito bem a história dessa cantora lirica, mas me apaixonei e até andei escutando ela esses dias. Ela amava a sua profissão mas tinha sérios problemas com a balança o que fez com que ela entrasse em um regime rigoroso por conta própria. Maria foi muito "usada" pela sua mãe que queria fama e riqueza e quem poderia proporcionar isso seria Maria com seu talento, a mãe chegou a oferecer a filha como amante em troca de aulas de músicas, comida boa e roupas.
Maria era uma pessoa extremamente nervosa e impulsa e teve diversos casos amorosos. 

Sylvia Plath 

 Me sensibilizei e achei incrível o trabalho, Sylvia foi uma poeta e desde de muito nova mostrava ser uma garota triste o que levou ela a tentar o suicídio diversas vezes.
Sylvia era muito a frente de seu tempo e tinha muitas questões sobre  a sociedade que queria saber.

"Talvez eu nunca seja feliz, mas esta noite estou contente." 

Tina Turner 

Conheci a história de Tina há um tempo, minha mãe sempre foi fã e acabava me contando algumas coisas.
 Como essa mulher sofreu na mão de seu marido, hein?
Brigas, espancamentos, estupro, humilhação, renderam anos até Tina se livrar das garras do seu "monstro."
O que me deixou ainda mais fã dessa mulher, foi o jeito que ela tentava enfrentar as situações e mesmo com tudo muito ruim ela ainda tinha a música que era seu bem maior. 

Ingrid Bergman 


A história da Ingrid é bem bacana, não conhecia a atriz mas me apaixonei só de ler suas frases e saber mais sobre ela. Ela foi julgada por seguir seu coração, foi banida de Hollywood por apenas tentar ser feliz.

"Mas talvez o verdadeiro amor de Ingrid Bergman tenha sido sempre seu trabalho."



Marilyn Monroe



Gente, foi uma tortura esperar até o ultimo capítulo para ler sobre minha preferida, Marilyn. <3
Fiquei chateada porque não teve muitas páginas da sua história como as outras tiveram.
Ela queria ser amada por quem ela era não pelo fato de ser a garota sexy da época. 
No fim ela morreu sozinha.

"Querido Joe, Seu conseguisse fazê-lo feliz, eu teria conseguido fazer a maior e mais difícil coisa que existe, que é deixar uma pessoa completamente feliz. Sua felicidade significa a minha felicidade e..."

Essas foram as últimas palavras deixadas por ela em um bilhete. 


Bom gente é isso! Vocês já leram? O que acharam?